Book Review: “Eva Luna” de Isabel Allende

Book Review: “Eva Luna” de Isabel Allende

“Eva Luna” de Isabel Allende é um livro único. A obra é leve, mas não deixa de tratar de diversos temas: política, feminismo, sexualidade e multiculturalidade.

Eva Luna é uma mulher que viveu parte da sua vida à margem da sociedade. Ela era tão invisibilizada que sequer tinha uma família ou documentos pessoais. Eva passou a infância toda trabalhando como empregada doméstica em diversas casas, mas o trabalho nunca a impediu de expor o seu talento para todos: o dom de contar histórias.

Eva possui uma criatividade gigantesca e consegue contar um número infinito de histórias. Talvez esse talento seja fruto de seu grande e apaixonado coração, que sempre acaba se envolvendo com um rapaz novo.

A obra nos permite acompanhar essa menina talentosa e apaixonada desde seu nascimento até a vida adulta. A curiosidade e o talento de Eva é o grande protagonista desta obra, pois a leva para diversas situações únicas.

O que mais gostei da leitura: como a Eva possui grande sensibilidade com sentimentos e como ela reconhece o grande amor da sua vida.

No decorrer da leitura, nos sentimos mais próximos da própria Isabel Allende, pois sentimos que ela projetou suas próprias características em Eva.

Concluindo: eu indico essa obra para todos! Em especial, para as pessoas que buscam uma leitura poética, fluída e criativa.

Book Review: “Nós e Eles” de Bahiyyih Nakhjavani

Book Review: “Nós e Eles” de Bahiyyih Nakhjavani

“Nós e eles” foi o meu segundo contato com o trabalho de Bahiyyih Nakhjavani. Achei a obra totalmente diferente de “O alforje” (meu primeiro contato), mas sem perder a linda escrita da autora.

A obra inteira é contada na primeira pessoa do plural, pois o objetivo da autora é englobar todas as facetas persas ao redor do mundo (por conta da diáspora iraniana). Essa narrativa do “nós/eles” é intercalada entre os capítulos da história sobre uma idosa (Bibi) que deixa o Irã e viaja entre as casas de suas duas filhas em Paris (Lili) e Los Angeles (Goli).

Os personagens se encontram de diversas maneiras mostrando o quanto a comunidade é interligada. Todos são de gerações diferentes e possuem uma perspectiva conjunta – essa questão geracional é bem explorada em Lili e Goli com relação à mãe delas.

Não achei que foi uma leitura simples, pois ela exige bastante atenção por parte do leitor. Mas acho que foi uma ótima leitura e indico para todos que querem ter contato com uma cultura/vivência diferente.

A leitura da obra foi feita com o pessoal do @clubelivrosdelei (https://www.instagram.com/clubelivrosdelei), que tem como propósito ler mulheres contemporâneas de culturas diferentes.

Book Review: “A casa dos espíritos” de Isabel Allende

Book Review: “A casa dos espíritos” de Isabel Allende

Está aí um livro que vale muito a pena ler! “A casa dos espíritos” não combina muito com o seu título, porque ele é bem mais do que isso. É um livro sobre feminismo e política, sobre amor e luta. Acredito que seja uma obra dedicada à democracia.

É uma obra profunda e que nos apresenta a família Trueba, cheia de personagens complexos. No decorrer da leitura, a gente acompanha a vida de Clara Del Vale e Esteban Trueba até chegar na terceira geração contada a partir da geração dos dois. Complexo? Sim, então vamos lá: acompanhamos a obra desde a infância/adolescência dos dois até a terceira geração deles (que seriam os netos). Tudo isso está na sinopse do livro! Sem spoilers rsrs

O feminismo é a base da obra. Ele aparece de todos os modos: seja pela relação que a sociedade machista tem com as mulheres ou seja pela relação que as mulheres têm entre si. A vida de todas as personagens femininas é um ato de resistência, mas cada uma à sua maneira.

O realismo mágico aparece de forma incrível e que faz a obra se tornar mais leve. A Clara é a protagonista neste sentido, pois é clarividente e traz um pouco de “racionalidade” para os acontecimentos, dando uma breve explicação do porquê das coisas. Eu não quero me estender mais, porque acho especial ir descobrindo no decorrer na leitura.

O maravilhoso desse livro está nos detalhes e no fim da leitura, quando descobrimos quem está narrando a obra para nós. Eu chorei por muito tempo de pura emoção depois de terminar o livro, e depois chorei de novo na última discussão do Clube Livros de Lei. Vale muito a pena a leitura, independentemente de gênero e idade.