Book Review: “O eterno marido” de Fiódor Dostoiévski

Book Review: “O eterno marido” de Fiódor Dostoiévski

“O eterno marido” foi escrito por Dostoiévski em um período de já maturidade do autor (1870). Escolhi essa obra para ser lida depois de “O jogador” e antes de “Crime e castigo”. Essa ordem foi totalmente aleatória, mas que prejudicou muito a minha leitura, como vocês verão a seguir.

Eu terminei “O jogador”, que é uma obra curta e brilhante do escritor, que tem seu próprio tom de ironia e é extremamente divertida. “O eterno marido” também é visto por muitos como uma obra curta e divertida, então, para mim, foi inevitável fazer comparações.

O enredo é muito bom e surpreendente. A obra nos conta sobre o encontro de Pável Pávlovitch (o eterno marido) e Vieltchâninov, ex-amante de falecida esposa de Pávlovitch. Conforme a leitura, você acaba “entrando” um pouco no personagem de Vieltchâninov, pois a perspectiva da realidade da obra gira toda em torno da dele – isso fez com que eu sentisse um nojo extremo do Pávlovitch, assim como Vieltchâninov sentia.

Acho que Pávlovitch foi um dos personagens mais babacas que li nesse ano todo, mas não irei revelar os motivos por conta de spoilers. Outro ponto interessante foi a definição de “eterno marido”, que é um termo usado por Vieltchâninov:

“Em sua opinião, a essência de tais maridos consiste em serem na vida, digamos assim, “eternos maridos”, ou melhor, apenas maridos e mais nada”.

DOSTOIÉVSKI, Fiodor. o eterno marido – tradução de rubens figueiredo. Companhia das letras. São Paulo, 2018. Loc. 724 no kindle oasis.

É um livro que vale a leitura. Não senti que foi uma leitura prazerosa e acho que estava longe de ser as obras-primas que conhecemos de Dostoievski. Vale a leitura, desde que sem comparações com outras obras do mesmo escritor.